Assisti ao famoso filme Comer, Rezar e Amar pela primeira vez esses dias. Em uma noite qualquer, minha amiga Carol comentou que nunca tinha visto e resolvemos ver juntas, eu em Joinville e ela em Salvador. Obrigada, Netflix. Além de morrer de amores por Julia Plena Roberts (que hoje ilustra essa news), fui impactada por muitas frases e situações do filme. Depois de algumas – muitas – reflexões via WhatsApp com a Carol, me inspirei pra escrever essa newsletter, a última de 2019. Para quem nunca assistiu ao filme, segue um breve resumo:

“Quem nunca sonhou em largar tudo e sair pelo mundo? Foi isso o que Liz Gilbert fez ao constatar que não era feliz, mesmo com uma relação estável, uma casa própria e uma carreira bem-sucedida. Confusa sobre seus desejos, Liz sai da zona de conforto, se divorcia, arruma as malas e parte para uma viagem de um ano rumo à Itália, Índia e Indonésia. Na bagagem, um objetivo: autoconhecimento e, consequentemente, paz interior.” Guia da Semana

E é quando Liz está na Itália que a palavra “attraversiamo” surge. Attraversiamo significa, literalmente, “vamos atravessar”. Mas essa é também uma expressão que fala sobre como temos que arriscar, sair da zona de conforto em que a vida geralmente acontece. O filme nos mostra uma atitude extrema (que a gente já sentiu vontade de fazer muitas vezes, mas os boletos nos impedem), só que pra sair desse seu lugar seguro você não precisa jogar tudo pro alto. Com pequenas escolhas você já pode mudar a sua vida diariamente.

E essa vontade de mudar grita dentro de nós a cada novo fim de ano, não é? E foi por isso que separei três ensinamentos que aprendi ao ver esse filme pra compartilhar com vocês.

Sobre ATRAVESSAR

Quantas coisas você “atravessou” este ano? Quantas lágrimas de alegria ou tristeza atravessaram o seu rosto? Quantas pessoas deixaram a sua vida, atravessando para outros caminhos? Quantos passos você atravessou para conhecer novos lugares? Quantos dias ruins atravessaram o seu 2019? Bom, se você está lendo esse e-mail agora, a boa notícia é que você sobreviveu a tudo isso. A “má” é que 2020 está chegando com muitas novas situações para você fazer essas travessias.

Muita gente gosta de frisar que a virada de ano não muda nada efetivamente, mas eu não acredito nisso. Além da Terra ter completado uma volta completa ao redor do Sol, essa é a hora em que a gente para pra refletir sobre quem nos tornamos nos últimos 365 dias. Só sabendo exatamente onde estamos é que podemos ajustar o nosso GPS interno pra saber onde ainda queremos chegar. Porque já dizia o gato para Alice: se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.

Não atravesse 2020 sem novos sonhos e pontos de chegada. Não é sobre traçar grandes metas impossíveis para se frustrar (de novo) no fim do próximo ano. É sobre olhar para a sua vida atual e descobrir o que pode ser melhorado dentro da sua realidade, com ações que dependem exclusivamente de você.

Sobre ATITUDES

Uma das cenas do filme que mais me marcou foi a que Liz conta uma piada italiana sobre um homem pobre que ia à igreja e rezava diante de uma estátua: “Querido Santo, por favor, por favor, por favor… conceda-me a graça de ganhar na loteria”. E o lamento durou por muitos e muitos anos, até que por fim a estátua irritada ganhou vida e disse “Meu filho, por favor, por favor, por favor… compre o bilhete”.

Refleti sobre quantas coisas eu já pedi pra minha “estátua” sem nunca efetivamente ter comprado o meu bilhete. Porque se você só fala por falar que quer algo, tudo bem. Keep doing what you’re doing. Mas não se esqueça: mesmas atitudes, mesmos resultados. A mudança que você REALMENTE quer está na atitude que você não toma. O Universo pode estar cheio de boas surpresas pra você, mas você precisa dar o primeiro passo e oferecer as condições para que ele conspire a seu favor.

É por isso que algumas metas nunca saem do papel. “Emagrecer” é uma das metas que milhares de pessoas colocam como prioridade no início do ano. E ei, não veja isso como algo fútil. Às vezes é importante de verdade para aquela pessoa conseguir alcançar isso. Seja pra provar pra ela mesma que consegue, seja pra se sentir melhor com o seu corpo ou ser mais saudável. Mas a frustração vem quando você vê APENAS o ponto de chegada como meta. A meta não deveria ser emagrecer. Deveria ser começar o exercício físico 3 vezes por semana. Inscrever-se finalmente naquela aula de pilates que você sempre quis fazer. Não dizer apenas que em 2020 você vai parar de comer industrializados, mas consultar uma nutricionista (ou quem sabe uma psicóloga, se você sofre com ansiedade e desconta tudo em comida). Fazer marmitas pra semana e seguir mais facilmente o seu plano alimentar. Quando você não divide uma grande meta em pequenas ações, pode ter certeza: você vai desistir. E essa não é a palavra do seu próximo ano, né?

Sobre A ARTE DE NÃO FAZER NADA

Em outra cena, os italianos explicam pra Liz sobre a “dolce fare niente”, a arte de não fazer nada e não se sentir culpada por isso. Esse é um ponto que eu consegui melhorar bastante em 2019, mas que ainda está enraizado em mim. Mesmo que eu saiba que estou ZERO produtiva no dia, fico insistindo em fazer tudo. Me sinto culpada quando estou em casa de noite assistindo séries ou Youtube. Me sinto culpada quando não dou check em todos os itens do planner. Me sinto culpada se terminei tudo antes do dia acabar e me vem o pensamento de que eu posso descansar agora.

Acho que grande parte dessa cobrança interna é por conta dos comentários que a gente escuta por aí sobre quem é empreendedora e faz o seu próprio horário. “Vida boa, hein? Trabalha quando quer. Assim até eu, tomando café no meio da tarde” (e isso sem a pessoa saber que pra tomar aquele café no meio da tarde eu tive que trabalhar até onze da noite do dia anterior). Mas eu já sei que eu não preciso dar satisfação da minha vida pra ninguém, porque ninguém paga os meus boletos no fim do mês. Sei que preciso trabalhar isso em mim e parar de me cobrar tanto. E aí já lembro de outra frase importante do filme: “você precisa aprender a escolher os seus pensamentos do mesmo jeito que escolhe as roupas que vai usar a cada dia”.

Escolha ser mais gentil com você. Não seja tão dura se o seu dia não saiu como o planejado, se você furou a dieta, se você teve que mudar de direção contra a sua vontade. Um novo dia vai chegar e você vai ter a chance de fazer tudo de novo. Porque é sobre isso que um novo ano se trata: novas chances para nós.

Aproveito este espacinho virtual para te agradecer por estar comigo por mais um ano. Um ano cheio de mudanças na 2BeeKind, né? Muitas vezes recebo mensagens e e-mails de pessoas que falam que se sentem próximas de mim e que se preocupam quando fico doente e sentem quando estou pra baixo. Queria dizer que eu sinto o mesmo carinho por vocês. Tive a chance de conhecer muitas pessoas por causa desse perfil em 2019, fazer parcerias incríveis e acompanhar as vitórias de quem me segue também. Gente que conseguiu emprego, gente que foi viajar, gente que aprendeu algo novo por minha causa. E é isso que eu quero pra 2020: que a gente continue pertinho. Eu sei que o tempo anda difícil e a vida tropeçando, mas se a gente vai juntinho, vai bem (né, Mallu Magalhães?).

Obrigada, 2019. Você foi lindo igual a uma pintura surrealista: ao olharmos de longe nos causa estranheza, mas com um olhar mais atento podemos descobrir muitas interpretações bonitas e necessárias. Sobre 2020: attraversiamo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu